Criaturas, Animais e Feras

Animais Falantes -


Arbóreos - Em meio as árvores é quase impossível saber quais são reais e quais são Arbóreos; tratam-se de criaturas de extrema semelhança com as árvores, na maioria das vezes viçosos e bem cheios de folhagens verdes, mas há também as de troncos mortos, as finas e os pequenos pés de frutas; costumam se disfarçar, mas ao olhar bem pode-se ver rostos assustadores entalhados nas mesmas, os braços são feitos de galhos e a maioria não se locomove, mas existem pequenos arbóreos que tem essa capacidade; não são nem maus nem bons, alguns optam por ajudar as bruxas más e madrastas, mas outros brincam com as fadas e abrigam criaturas da floresta, os quais protegem com todas as forças (tendo por vezes reações agressivas para que não se aproximem das criaturinhas), mas a grande maioria é apenas travessa, pregando peças em viajantes que adentram pelos bosques; vivem em pântanos, florestas não muito densas e bosques;

Banshee (Gritadores)

Criaturas do Bosque - São os pequenos animais, que acompanham sempre as princesas no bosque; veados, coelhos, esquilos, gambás e pequenos pássaros que cantam e fazem afazeres domésticos, além de adorarem acompanhar a formosura das belas princesas que passam pelos bosques, onde vivem; são ótimas companhias e também bons espiões, muito usados para perguntar a localização de pessoas, já que vivem nos bosques vendo quem vai e vem, mas não costumam contar a verdade a quem julgam pessoas más, falando apenas com Trolls e belas donzelas, mas as vezes ao ver madrastas disfarçadas de belas moças acabam revelando coisas que não deveriam, mesmo assim são muito úteis na confecção de roupas, e outros trabalhos minuciosos que os heróis não tem tempo de fazer.

Devorador (Glutão)


Dragão - Você pode encontrar os dragões em três ocasiões: solitários em florestas e grandes formações rochosas; na posse de bruxas más, principalmente guardando torres de princesas; ou na posse de jocosos, guardando os tesouros dos mesmos; São criaturas dóceis, mas muitos acabam tornando-se frios pela vida solitária, só atacam quem lhes ataca ou tenta se aproximar do que guardam; existem diversos tipos, formas e tamanhos; a grande maioria é encontrada guardando torres durante o livro.

Duende - São terríveis criaturinhas que diferente dos gnomos tem apenas uma natureza, a má, são na maioria das vezes verdes, alguns poucos são avermelhados ou cinzas, possuem narizes pontudos e orelhas grandes repletas de brincos, os olhos são grandes e esbugalhados, as bocas são finas e sorridentes; São munidos de garras e dentes afiados, além de na maioria das vezes serem vistos com lanças, escudos e capacetes repletos de caveiras das criaturas dos bosques das quais se alimentam; enquanto os elfos são os bons, os gnomos os bipolares e os goblins os travessos, Duendes são estritamente ruins, usados na maioria das vezes por bruxas más para ajudá-las em seus planos; o duende não é tão inteligente, mas nem por isso não é astuto, ágil, atento, hábil e esperto.

Fênix

Gatos - Muitos deles são apenas homens amaldiçoados e transformados em gatos, mas a grande maioria são simplesmente gatos... Quero dizer, não simplesmente... Gatos são criaturas espertas, astutas, ágeis em batalhas de espada, são pequenos e por isso atacam sempre de surpresa, além de ter extrema agilidade e nunca cair se não em pé, são muito materialistas, colecionando pertences que roubaram de humanos, principalmente roupas; dominam as noites tocando seus saxofones, trompetes, violinos e baixos, ainda parados na década de cinquenta, entre eles o gato de botas é o mais notável, um exímio empresário, conseguiu deixar um rapaz rico rapidamente, e até então continua sendo administrador do mesmo, mas sempre roubando, ou melhor, pegando o que lhe pertence por ter deixado o homem no posto de principe; outro notável é o gato de cheshire, muito conhecido como gato risonho, um bichano travesso e sorridente, que filosofa com os viajantes dando-lhe dicas, algumas falsas que os leva a lugares sem saídas, outras reais, mas sempre desaparece ao revelar qualquer coisa, mesmo travesso está sempre disposto a ajudar, impedindo que algo ruim possa acontecer com seu mundo; são frequentemente companhias de feiticeiras.

Gigante - 

Gnomo - São o resultado do cruzamento de Elfos com Duendes; tem uma natureza boa, por cuidar da natureza, da terra, seu elemento, mas quando provocado torna-se uma fera terrível duas vezes maior que um gnomo nanico (chega a ter o tamanho de uma criança de cinco anos) de dentes afiados e garras grandes e cortantes, seus olhos tornam-se vermelhos intensos e o nariz pontudo e a pele esverdeada repleta de verrugas e pelos; em seu gorro, na maioria das vezes vermelho, traz diversas magias, quando os mesmos são de outras cores costumam representar o cargo do gnomo, como o amarelo é de líderes e o azul de guias espirituais; quando transformado a única maneira de parar um gnomo é jogar água fria no mesmo, assim ele torna-se pedra e nasce mais um gnomo de jardim; seus poderes são magia, que costumam usar para pregar peças maldosas nos viajantes, também pode fazer crescer plantas, florir, brotar tão rápido quanto um piscar de olhos, pode cavar a terra rapidamente e se alimentar da mesma tornando-se mais forte, tem um extremo conhecimento em ervas medicinais, e o que é ou não próprio para o alimento, além de poder tornar-se uma fera muito mais forte e com presas que cortam até metal;

Goblin - Há os que vivem nos bosques, pregando peças nos viajantes com a ajuda de arbóreos engraçadinhos, esses são traquinas, com rostos dóceis e arredondados, grandes orelhas, de escamas viscosas, e um grande sorriso, que quando riem frequentemente liberam muco verde e viscoso, que tem um odor terrível, ou então babam em demasia; há também os goblins guerreiros, munidos de machados e armaduras e acompanhando sempre um grande Orc nas lutas contra heróis; nem por isso são considerados maus, apenas lutam contra heróis por prazer, e em alguns casos por inveja de sua beleza, influência e o fato de ser sempre um protagonista.


Jocoso - Semelhantes a goblins, vestidos sempre de bobos da corte são os responsáveis pelas canções e piadas durante as festas reais, e para animar os dias tediosos do rei; o mesmo não é bonzinho, mas não faz mau a ninguém, apenas vive a roubar coisas reluzentes, na maioria das vezes de alto valor, onde guarda em sua coleção e de seu grande dragão nas cavernas.

Linbus - São escravos da Lindsay; criaturas altas, esguias, de braços longos, e pernas curtas, sem pescoço e de aparência mórbida; que podem duplicar-se, aumentar de tamanho, além de ter uma extrema força bruta; são formados por uma armadura de dentes de leite sobre escuridão pura; podendo assim surgir das sombras e projetar-se a longas distâncias através das mesmas; são de pouca inteligência e não se locomovem muito bem; podem atacar com socos e com dentes afiados projetados dos enormes braços; a noite locomovem-se muito melhor, pois quase não há lugar sem sombra, assim podem "teletransportar-se" para onde quiserem; na luz intensa se dissipam.

Lobisomem
Objetos vivos

Ogro
Orc


Sapos - São quase uma espécie de oráculo, mas vivem nos bosques e costumam andar em pequenos bandos, recitando suas previsões rimadas em coro, eles podem prever grandes desastres meteorológicos, inclusive os mágicos, o que ajuda muito os heróis a impedir que bruxas más destruam os mundos; um sapo, chamado Frederick vive no Restaurante Elementais, onde avisa as amigas feiticeiras e fadas quando estarão em seu tempo (momento a cada seis meses onde não conseguem controlar bem seus poderes e devem isolar-se para não causar desastres); não são como sapos da terra, eles são bípedes e tem desde o tamanho de um punho até a altura de oitenta centímetros, os olhos são bem separados e negros com pequenas faixas brancas nos mesmos, possui bocas grandes e cerradas, sem nariz ou orelhas, a cabeça é chata e não tem ombros, o corpo é esguio e no pescoço costuma usar uma grande flor, de modo que as pétalas ficam abertas ou caídas ao redor de seu pescoço; na maioria das vezes nascem apenas machos; gostam de brincar de cantigas de rodas durante a chuva e sempre surgem cantando quando a previsão de um deles concretiza-se.

Sereia - Por mais que seja conhecida como uma mulher encantadora, a sereia é na verdade uma fera, com sua bela aparência e voz encanta os homens próximos ao mar para saciar sua fome; há duas formas de sereia, a mais comum é a humanoide, que possui calda de peixe e bela aparência, que fora da água pode forjar belas pernas torneadas; costuma aparecer como surfista, ou moça que não sai da praia, cachoeiras ou rios, mas na atualidade tem se afastado do mar e costuma-se encontrar sereias principalmente como prostitutas nas grandes cidades, e depois de encantar o rapaz ela o leva para o mar, onde torna-se mais forte e deixa o homem sem saída; esse tipo de sereia é sanguinário, gosta de comer a vítima viva, sentir a sua dor e agonia; quando torna-se fera cria enormes garras, seus olhos tornam-se completamente negros e os dentes semelhantes a um de um tubarão; Já a outra forma é a de sereia que jamais sai da água, e não tem vontade própria ou mesmo vida, apenas é uma isca que fala e se movimenta, mas está presa a uma enorme fera que fica em baixo d'agua aguardando o momento certo para dar o bote na vítima encantada com sua sereia falsa, essas feras são chamadas também de sereias, mas na verdade são apenas feras marinhas.
Serpente do mar -

Sírinos - Criaturas sombrias e frias, não possuem rostos, se não uma cabeça preta dotada de uma espécie de boca de poucos e afiados dentes, permanecendo sempre escancarada, o rosto é por vezes enfaixado com panos velhos e escuros, o corpo é esguio, chegando a medir por vezes até dois metros, é esquelético, quase como um morto vivo, com a pele e a carne putrificada enfaixada e com panos negros por sobre a mesma, por vezes é visto com cabelos de fogo, e chamas ardentes saindo da boca e das juntas, mas também pode ser visto com musgo nos mesmos, por vezes também pode ser visto mascarado; Quando vê-se um Sírino algo terrível está para acontecer, mas o mesmo dificilmente ataca as pessoas, na maioria dos casos apenas surge e desaparece rapidamente, nem por isso não ataca vítimas, (na maioria dos casos pessoas más, ou que invadem seus territórios) das quais se alimenta da vitalidade, como uma aranha suga sua presa, além de dar saltos semelhantes a pequenos voos, ter uma força extrema e flexibilidade, muitos podem controlar o fogo; são conhecidos por muitos como guardiões do inferno; Locomovem-se de maneira assombrosa e escorregadia, costumando andar inclinados e as vezes apoiando-se nas mãos;

Troll - Um monstro feito basicamente de plantas pantanosas, lodo e terra, como carne e pele sobre uma ossada de raízes tão resistentes quanto o titânio, sendo assim é quase impossível encontrar um Troll que tenha alguma fratura; É horrendo, de nariz enorme semelhante a uma grande batata, seus olhos são pequenos, negros, e brilhantes, a boca, coberta por uma barba de folhagens e delicada e sem dente algum, tem cerca de dois metros quando criança e pode crescer até três metros quando começa a diminuir novamente pela velhice, que chega logo, com cerca de setenta anos o troll vem a falecer, alguns ainda vivem mais, conheci certa vez um troll com cerca de cento e vinte, mas isso é muito raro, principalmente hoje em dia, pois estão sofrendo caçadas, muitas vezes nem chegando a fase adulta; por mais que o Troll seja considerado agressivo, ele só age dessa forma para proteger quem ama, pois o mesmo é muito dócil e carinhoso, sempre ajudando as pessoas que querem o ajudar, mas ele é também muito medroso e se defende de qualquer coisa, podendo inclusive matar com um só golpe; Além de extrema força e resistência, o Troll tem domínio sobre plantas, principalmente as aquáticas e lodo, ele pode também conversar com animais como rãs, corças, esquilos, corvos e coelhos, muitos desses, mensageiros da floresta, além de ter muita habilidade na criação de armas, como lanças, mesmo assim não é difícil matar um troll, ele confia facilmente nas pessoas que rapidamente podem descobrir seu ponto fraco.
Unicórnios

Vampiro - Assim como o Lobisomem podem transformar-se parcialmente ou completamente em morcegos, mas na maioria das vezes tornam-se completamente para locomoção, mesmo assim nem todos os vampiros tem a habilidade de se tornar morcegos, assim como a heroína, Haley; são figuras sensuais ou ao menos encantadoras, de pele branquíssima, e quando estão usando os poderes fazem crescer as presas, os olhos tornam-se desde violeta até vermelho intenso (alguns ficam com os olhos completamente brancos e o conde Drácula pode deixá-lo completamente negro) o rosto torna-se terrível, com rugas ao redor de todo o olho, e a boca torna-se ligeiramente maior e mais flexível, a pele torna-se mais branca parecendo estar petrificada, e as unhas também crescem consideravelmente; não voam, mas podem dar rasantes e saltar em longas distâncias, mas não tanto quanto os lobisomens, são dotados de extrema força e velocidade, mas só podem usar tais poderes quando transformados; muitos vampiros também são conhecidos por bons conhecimentos em truques, sendo até mágicos em grandes cidades; alguns mitos giram ao redor dos mesmos, como o fato de serem mortos por apetrechos religiosos e alho, mas ambos são falsos, o alho apenas incomoda o olfato do mesmo, mas nada o impede de comê-lo ou aproximar-se do alimento, o que pode realmente matar um vampiro são estacas de madeira cravadas em seu peito e a luz do sol, mas contra a segunda causa há formas de prevenir-se, como o protetor solar fator 1.500, mas nem por isso ele é tão eficaz, o vampiro ainda sente incomodo, além desse apetrecho cientistas criam várias outras coisas para facilitar a vida dos vampiros, assim como um jovem que criou uma droga que acaba com os sintomas da fome de vampiros, e busca até hoje o antídoto para os mesmos; vampiros só viram vampiros por três motivos: Mordida (infecção), Algum vampiro na família (hereditariedade) ou por maldição (magia); muitos pensam que os vampiros só sugam sangue, mas os mesmos alimentam-se de poderes também, alguns conseguem inclusive usar os poderes absorvidos, mas a maioria só pode aumentar os poderes próprios, e também sugar vitalidade, como Drácula faz, por isso vive durante uma grande eternidade, já que vampiros não são imortais, eles também morrem de causas naturais, nascem, crescem e morrem, a diferença é que o processo é muito mais demorado, assim os vampiros podem viver até cerca de trezentos anos, o mais tardar até quinhentos.











Ocorreu um erro neste gadget
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Powerade Coupons